Tecnologia na vida das crianças: heroína ou vilã?

Jun 1, 2023

É um facto: o mundo já não está a criar Millenials (nascidos entre a década de 80 e 90) e a Geração Z (nascidos entre 90 e 2009) já se encontra na fase adulta ou a caminho dela.

Nascidos a partir de 2010, a Geração Alpha é marcada pelo protagonismo da tecnologia nas suas vidas. Não conhecem o mundo sem a internet, os smartphones ou os tablets, mas isso não é necessariamente mau. O contacto das crianças com ferramentas tecnológicas tem mudado a forma como se realiza o processo de aprendizagem e a prova disso é o crescente número de canais e jogos educativos que fazem parte do quotidiano dos mais pequenos, estimulando a sua criatividade, foco e imaginação.

Num mundo globalizado, o uso da tecnologia não pode, efetivamente, ser excluído. A pandemia intensificou a sua utilização e a sala de aula transformou-se num enorme computador, viabilizando situações que só eram possíveis presencialmente. Foi a tecnologia que nos permitiu continuar praticamente todas as atividades essenciais do quotidiano, mudando a relação de todos, especialmente das crianças, com o mundo.

Assim, no que toca à tecnologia, nem heroína nem vilã. O segredo é, portanto, o equilíbrio, e cabe aos pais saber harmonizar as relações tecnológicas e presenciais, não perdendo de vista que o ser humano é um ser social e, apesar dos relacionamentos interpessoais se darem também através da tecnologia, é necessário o contacto físico.

 

Utilização saudável das novas tecnologias

A OMS recomenda que crianças com menos de 1 ano não sejam expostas a telas. Nunca. Não recomenda a utilização de aparelhos eletrónicos e digitais por crianças de 1-2 anos. Recomenda que crianças de 2-4 anos não excedam uma hora à frente das telas e que crianças de 5-10 anos não ultrapassem três horas.

Na adolescência deverá ser negociado o número de horas. Uma utilização superior a 5 horas por dia, com clara perturbação do funcionamento do adolescente, é considerada excessiva.

Em suma, o mundo online deverá ser supervisionado e o número de horas e os conteúdos devem ser adequados ao nível de desenvolvimento da criança ou do jovem. Deverão ser impostas 3 a 5 regras bem definidas, claras e objetivas, partilhadas por todos. Deve existir um equilíbrio entre as atividades de lazer online e offline, podendo haver a conciliação de ambas, mas nunca esquecendo que mexer, cheirar, provar, apreciar são importantes para um desenvolvimento saudável das crianças e dos jovens.

Outras notícias

Hoje é o Dia Internacional da Educação

Hoje é o Dia Internacional da Educação

A Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou o dia 24 de janeiro como o Dia Internacional da Educação, este ano sob o tema “Aprender para uma paz duradoura”. A educação é fulcral para a manutenção da paz, como sublinha a Recomendação da UNESCO sobre Educação para a...

A Global Skillmind é PME Líder 2023

A Global Skillmind é PME Líder 2023

A GLOBAL SKILLMIND - Consultoria e Sistemas de Informação, S.A. foi distinguida pelo IAPMEI, pela qualidade do seu desempenho e perfil de risco, como PME Líder 2023. É com enorme agrado que vemos esta distinção, criada pelo IAPMEI numa parceria com o Turismo de...

Município de Vila Verde renova a utilização da plataforma SIGA

Município de Vila Verde renova a utilização da plataforma SIGA

A Global Skillmind renovou a utilização da plataforma SIGA - Sistema integrado de gestão e aprendizagem – no Município de Vila Verde, por mais 12 meses. Já são muitas as entidades que utilizam a plataforma SIGA, como sendo os Municípios de Barcelos, Amares, Braga,...

Loading...